Você sabe o que é ovário Policístico?

PROPAGANDA

A Síndrome do Ovário Policístico, trata-se de um distúrbio endócrino que provoca alteração dos níveis hormonais, essas mudanças resultam na formação de cistos nos ovários que fazem com que eles aumentem de tamanho. Também conhecida pela sigla SOP, é uma doença que tem como característica a  menstruação irregular, presença de microcistos nos ovários e alta produção do hormônio masculino (testosterona).

Ainda não se sabe exatamente sua causa, a hipótese levantada é que a doença tem uma origem genética, além disso, estudos apontam, que pode haver alguma relação com a resistência à ação da insulina no organismo, gerando um aumento do hormônio na corrente sanguínea que provocaria o desequilíbrio hormonal. 

PROPAGANDA
Ovário

Qual o diagnóstico? 

O diagnóstico pode ser descoberto por meio da realização de alguns exames laborais ou através do ultrassom ginecológico. Na segunda opção, a doença é percebida devido ao aparecimento de muitos folículos ao mesmo tempo na superfície de cada ovário. Contudo, esse exame, deve ser realizado entre o terceiro e o quinto dia do ciclo menstrual. Caso a mulher não seja mais virgem, é preferível que o exame seja feito por meio da técnica de ultrassom transvaginal.

Vale destacar que esses resultados não se aplicam a mulheres que estejam tomando pílula anticoncepcional. Caso haja  algum folículo dominante ou um corpo lúteo, é importante repetir o ultrassom em outro ciclo menstrual para realizar o diagnóstico mais preciso. No caso de mulheres que apresentam apenas sinais do ovário policístico, mas que não apresentam desordens de ovulação ou hiperandrogenismo, não devem ser consideradas como portadoras da síndrome dos ovários policísticos.

Quais são os sintomas do Ovário Policístico?

Existem alguns sinais muito importantes para identificar um possível diagnóstico, entre eles estão: 

PROPAGANDA
  • Falta de ovulação ou na deficiência dela 
  • Atrasos na menstruação (desde a primeira ocorrência do fluxo)
  • Aumento de pelos no rosto, seios e abdômen
  • Obesidade
  • Acne

Os casos mais graves, podem  predispor o desenvolvimento de diabetes, doenças cardiovasculares, infertilidade e câncer do endométrio. Se você sentir alguns desses sintomas, procure um médico para atestar a veracidade ou não do diagnóstico. 

Sobre os exames 

A síndrome de ovário policístico, pode alterar o ciclo menstrual, causar problemas de pele, além de ocasionar pequenos cistos nos ovários que por fim podem gerar dificuldades para engravidar entre outros problemas, porém algumas vezes pode ser assintomática. Apesar das mulheres descobrirem o diagnóstico, geralmente, entre 20 e 30 anos de idade, os primeiros sintomas aparecem logo nos primeiros ciclos menstruais ainda na adolescência. 

É comum que pacientes que apresentam a doença tenham antecedentes da mesma enfermidade em parentes próximos, como mãe e irmãs, o que configura uma pré-disposição genética ao desequilíbrio hormonal e suas consequências.

O médico algumas vezes já consegue diagnosticar a Síndrome do Ovário Policístico, por meio  da história e do exame físico, porém existem diversos exames que auxiliam no diagnóstico da síndrome. A ecografia e laparoscopia pélvica, ajudam a identificar uma dilatação do clitóris e nos ovários.

Por outro lado, o exame de sangue auxilia na verificação dos níveis de hormônios como estrogênio, folículo estimulante (FSH), luteinizante (LH), testosterona, tireoide e prolactina. Essa síndrome pode colaborar para o para o surgimento de muitas outras doenças, tais como: Diabetes, alterações do colesterol, aumento do peso e da pressão arterial podendo até causar câncer de útero se não for adequadamente tratada.

PROPAGANDA