Como Importar Para Revender Legalmente.

Importar produtos para revender tem sido uma opção muito vantajosa para quem deseja complementar a renda. Indo além, muitas pessoas já deixaram de lado os empregos para se dedicar, exclusivamente, às vendas online.

No entanto, apesar de ser muito lucrativo e fácil de fazer, é preciso ter em mente que a importação de produtos para revenda necessita de alguma regularização. Caso contrário, você estaria sonegando impostos, o que é crime.

Portanto, se você deseja saber como é revender legalmente produtos importados no Brasil, acompanhe a leitura desse artigo. Explicaremos, de modo bastante simples, como você pode lucrar – e muito – com a venda de produtos estrangeiros em território nacional.

Vamos lá?

Veja as melhores dicas de como importar para revender legalmente.

Como importar para revender legalmente

Formalize a sua empresa

O primeiro passo para poder revender produtos de forma legalizada, é abrindo uma empresa. Muita gente tem dúvidas em relação a isso, principalmente por acreditar que a burocracia para a formalização de uma empresa é muito grande. Ledo engano.

Após a crise que acabou com muitos empregos no Brasil, as pessoas precisaram procurar formas de ganhar dinheiro e subsidiar os gastos cotidianos. Por isso, cresceu de forma extraordinária a quantidade de empregos informais em nosso país.

Para organizar esses trabalhadores informais, o Governo Federal desenvolveu métodos de formalizar essa mão de obra, através de revisões das práticas empresariais e, até mesmo, na criação de novas. Por isso, se você deseja revender produtos importados mas tem medo de que os custos da abertura e manutenção de uma empresa formal sejam grandes demais, está na hora de rever os seus conceitos.

Atualmente, você consegue adquirir um CNPJ por valores muito baixos e com contribuições mensais. Pense naquela contribuição que é descontada mensalmente de seu salário, dedicada ao recolhimento do INSS. Basicamente, será o mesmo que você fará. As taxas para o Microempreendedor Individual (MEI), são módicas. Porém, tendo a empresa formalizada, você consegue operar dentro da legalidade, inclusive para revender produtos importados.

Compre de fornecedores confiáveis

Você, enquanto revendedor de produtos importados, efetivamente também é um comprador. Isso porque é necessário que você adquira esses itens de algum fornecedor estrangeiro. Da mesma forma que os seus clientes desejam produtos de qualidade, você também procura por isso.

Portanto, quando iniciar os seus trabalhos de revenda, procure por fornecedores que apresentem um bom trabalho. Mesmo que pareça difícil fazer isso, não é nenhum bicho de sete cabeças. Basta que você dedique um tempo para ver as qualificações que outros compradores dão para o vendedor e observar quais são os seus comentários.

Verifique a qualidade do produto que ele vende, bem como se a operação é legalizada. Quando você trabalha com bons produtos, as suas vendas aumentam. Portanto, é fundamental que você encontre um fornecedor que te ofereça um serviço qualificado. Assim, fica bom para todo mundo.

Falsificação é crime

É provável que você já tenha visto alguns produtos de marcas famosas por aí, apresentando um preço bem abaixo do comum. São muitos os motivos que podem diminuir o custo de um item, desde a quantidade comprada, até alguma promoção obtida.

No entanto, infelizmente, na maioria das vezes, o preço é tão baixo por ser apenas uma falsificação. Como sabemos, as réplicas falsificadas são proibidas para venda. Sendo assim, se você deseja operar dentro da legalidade, é fundamental que se mantenha afastado delas.

Todos os marketplaces colocam informes avisando sobre a proibição de comercializar réplicas em suas plataformas. As empresas produtoras dos itens originais também estão em constante observação, inclusive tirando anúncios do ar. Porém, nem sempre eles conseguem derrubar todos, devido à grande quantidade que se mantém fazendo esse comércio ilegal.

Portanto, se você está interessado em vender itens de marcas famosas, tenha em mente que terá que investir em produtos originais. Do contrário, estará comercializando falsificações.

Identifique o seu produto

É fundamental que você identifique e descreva os produtos que vende. Nas plataformas de marketplace há espaços específicos para a descrição dos itens e você não deve ignorar esse passo. Isso porque, quando você não faz a correta especificação do seu produto, pode levar o seu consumidor a adquiri-lo de forma errada.

Nesses casos, você terá que fazer a troca do item comprado, o que causa um custo extra para o vendedor. Descrevendo o produto e colocando o máximo de informações disponíveis, você evita possíveis confusões da parte de seu comprador. Ele, caso se sinta lesado nessa operação, pode qualificar o seu serviço negativamente, o que geraria uma imediata queda nas suas vendas.

Além disso, os órgãos de defesa do consumidor, como o ProCon, podem interferir na mediação das trocas, o que te causaria ainda mais dores de cabeça. Portanto, gaste alguns minutos para especificar o seu produto.

Deixe um espaço aberto com o seu consumidor

Seguindo a linha do tópico anterior, é fundamental que você tenha uma linha de comunicação com o seu comprador. Quando as compras são feitas pela internet, o cliente não está, efetivamente, tendo contato com um vendedor ao seu lado, como nas lojas físicas. Esse é um dos principais motivos para as pessoas ainda não terem assumido o comércio eletrônico integralmente.

Sendo assim, é muito importante que o seu cliente se sinta amparado. Responda às suas dúvidas e lhe dê todas as informações perguntadas. Além disso, sempre identifique a sua loja e disponibilize números de telefone e endereço de e-mail. Dessa forma, você estará mostrando que a sua empresa é legalizada.

Formalizar a sua operação é simples. Estando com toda a operação regulamentada, você consegue obter os benefícios de mais vendas e transmitir maior segurança ao seu comprador.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.